torredemoncorvoinblog@gmail.com

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Barragem das Olgas

A Barragem das Olgas, em Maçores destina-se ao fornecimento de água potável a Torre de Moncorvo, Sequeiros, Açoreira, Maçores, Felgueiras, Urros, Peredo dos Castelhanos, Quinta das Centeeiras. Também se destina a abastecer Ligares pertencente ao concelho de Freixo de Espada à Cinta.
Ao que parece, a barragem de Vale de Ferreiros não tem cumprido tudo o que se esperava dela. A futura barragem funcionará em conjunto com a Barragem do Arroio, por forma a garantirem o abastecimento urbano a 100% (a 5.000 habitantes). Está prevista a ligação entre as duas, de forma que uma possa suprir as necessidades da outra.
A barragem será implantada na ribeira do Arroio, na freguesia de Maçores, afluente do rio Douro, a cerca de 170 metros, a jusante da junção da ribeira do Arroio com um seu afluente, a ribeira das Olgas.

A cerca de 1,8 km, medidos em linha recta, a sul da barragem das Olgas, situa-se a Barragem do Arroio, em exploração desde 1992, a partir da qual são actualmente abastecidas as povoações de Peredo dos Castelhanos, Urros, Quinta das Centeeiras e Ligares.
A vida útil da barragem está prevista em 40 anos, mas vivendo nós em Portugal, sabemos que estará connosco "até que a morte nos separe".
Ao contrário de outras barragens, a área que vai ser utilizada na criação desta, não inclui nenhuma área sensível, nem incluiu o habitat de nenhuma espécie animal ou vegetal de interesse comunitário. Há a preocupação que as terras retiradas sejam utilizadas para a regularização de outros terrenos nas imediações e que os poucos pés de oliveiras que é necessário arrancar, possam ser transplantadas para locais muito próximos. Apesar do pequeno caudal da ribeira, está prevista a manutenção de um caudal ecológico (espero que venha a ser cumprido).
Os habitantes de Maçores já olham para a infraestrutura com vaidade. Espero sinceramente que a mesma venha a traduzir-se na melhoria da qualidade/quantidade de água no abastecimento público neste concelho tão carente deste bem (e o Douro ali tão perto!).

5 comentários:

Anónimo disse...

Só um reparo onde se lê Quinta dos Centeeiros deve ler-se Quinta das Centeeiras.
O seu a seu dono não podemos fazer baptismos de terras, já agora tem toda a razão quanto à situação da Fonte de Lamelas.

AGoncalves disse...

Obrigado pelo contributo (ainda que anónimo). Estamos cá para conhecermos cada vez melhor o concelho.

Anónimo disse...

Sendo um vizinho de Vila Flor, está desculpado o Xo_oX... - sendo certo que já vai conhecendo o concelho de Torre de Moncorvo, muito melhor que alguns dos nossos conterrâneos, que não saem (ou saem pouco) do centro da vila.
Obrigado por mais estas informações sobre o abastecimento de água ao concelho, pois algumas notas sobre actualidades também mostram que aqui não há só Passado.
Um abraço a todos1

LOPES disse...

Caros anónimos sim relamente é Quinta das Centeiras, pertence à Freguesia de Mós, não devo estar errado ? ou pertencia ? aceito correções, deve ter actualmente poucos habitantes, bem outras terras do interior é o sinal da desertificação.

LOPES disse...

Notícia interessante para aqueles engraçadinhos que adoram fazer comentários anónimos, ofendendo e fazendo calúnias entre outras afirmações dos blogueiros, e do comentários impróprios. Cuidado com o aquilo que escrevem e afirmam,o seu comentário pode ser utilizado contra o anonimo na justiça.Pois caso não saiba existem sempre formas de localizar através do endereço de IP e de rede o local do PC onde se escreve o que não deve. Não sabia?

eXTReMe Tracker