torredemoncorvoinblog@gmail.com

domingo, 26 de outubro de 2008

Partidela de amêndoa


Serve esta fotografia de 1974, enviada por Liónidas de la Torre para recordar que no próximo Sábado, 15;30 horas, vai ter lugar 5ª Partidela Tradicional de Amêndoa no Museu do Ferro & da Região de Moncorvo. Há música, animação ... e amêndoas. Espero que também não falte um repórter, para nos "contar" o que se vai passar.


A fotografia é espantosa e espreita a beleza de um tempo. Daquele tempo.

Em 1975 , no ano seguinte, também eu fui a várias "sessões" da partidela de amêndoa. Metia-me em tudo, acabada de chegar de África queria experimentar coisas diferentes da terra fria. Aliás, na altura, aquele ritual divertia-me, parecia que estava a brincar. "Acertar" a cadência das marteladas com a dos Pais Nossos e Ave Marias do terço que simultaneamente se rezava, era um "jogo" divertido. Por vezes, desacertava, batia com o ferrinho ao lado e magoava um dedo mas isso fazia-me rir pois ponha-o na boca para arrefecer como os cowboys a pistola nos filmes do Faroeste.

Também andei à amêndoa e senti a "liberdade" cabrita de andar pelos montes. E os meus pais em Moçambique ainda…

Eu contava-lhes estas histórias por carta , muito contente, e eles ficavam muito "aflitos", pois que diriam na terra "a filha do Óscar e da Bernardete a andar à amêndoa…, devem estar a precisar, coitados!...". Não era assim e eu também não queria saber da jeira . Queria "brincar" e "fingir" que era "uma mulher do campo". Tinha 15 anos e, quem sabe, o fascínio das máscaras ...

Hoje, posso concluir que as memórias também se fazem de fios de água. Coisa pouca, mas estes têm um cheiro de raiz transmontana à sua passagem.

M. Aleixo

2 comentários:

N. disse...

Caro Aníbal, obrigado por postar esta foto tão oportuna, assim como ao Liónidas de La Torre que a enviou (presumimos que autor da mesma).
Tanto quanto sabemos esta foto terá sido tirada na aldeia do Peredo dos Castelhanos, uma freguesia conhecida outrora pela sua grande produção de amêndoa, documentada desde o século XVIII. As amendoeiras em estado selvagem já por aí andariam muito antes, quiçá desde sempre, tal como nas freguesias de Almendra (Amêndoa, em castelhano) e Castelo Melhor, do outro lado do Douro, no concelho de Vila Nova de Foz Côa.
O amendoal tradicional nestas terras encontra-se em regressão, em alguns casos substituído pela vinha que é mais rentável. Noutros casos está a monte, porque é difícil utilizar os tractores nas encostas declivosas do Douro, e já não há lavradores antigos, com os seus machos/mulas e velhos arados... E, além disso, o preço da amêndoa deixou de compensar, para mais em tais terrenos.
Por isso, as partidelas tradicionais, feitas como se vê na foto ou ao serão, deixaram de se fazer. E, também por isso, o Museu do Ferro (a amêndoa partia-se com um ferrinho) retomou o tema.
Fica o convite e a reportagem há-de aparecer!

J. Stocker disse...

Os meus parabéns pelo vosso Blog, parabéns por esta iniciativa da da Partidela Tradicional da Amendoa, nunca assisti, mas escutei sempre o meu avó que era do Larinho falar desta tarefa em casa de seus Pais, o seu nome era António Xavier de Carvalho. Eu sou de Coimbra e resido em Lisboa, mas adoro a terra Transmontana e a sua gente, pelo que também criei um Blog para uma Freguesia rural do Concelho de Bragança de onde a minha mulher é natural.
Saudações, continuação de bom trabalho na vossa divulgação

eXTReMe Tracker