torredemoncorvoinblog@gmail.com

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Dr. Armando Pimentel (2)


Foi o Amândio Gomes quem, no dia 30 de Dezembro, me comunicou a morte do Dr. Armando Pimentel.
Para além da leitura dos seus excelentes escritos no jornal "A Torre", eu nunca tive grande contacto com o Dr. Pimentel, mas lembro-me de algumas interessantes conversas entre ele e o meu pai, em Mogadouro.
Eu escutava-os em religioso silêncio. Eram ambos amantes dos livros, da Literatura e da História. E quanto saber, meu Deus! Quanto que aprendi a ouvir os dois!
Uma coisa extremamente curiosa e completamente diferente foi o episódio que vou contar: tendo eu chegado uma tarde a Mogadouro, estava o meu pai a fundir coroas de ouro para aplicar em dentes de pacientes seus (penso que hoje o processo já será outro).
O Dr. Armando Pimentel estava a ajudá-lo! Segurava o maçarico de gasolina apontando-o à bolinha de ouro em fusão; o meu pai soprava o maçarico de boca para ajudar a chama a inclinar-se para o ponto devido e o Dr. Pimentel ia fazendo uma data de perguntas.
Quando o meu pai considerou que o ouro estava pronto para moldar, enfiou rapidamente a bolinha na pequeníssima prensa e calcou a tampa forrada de amianto bem encharcado em água.
O vapor de água que se formou iria empurrar o ouro por um buraquinho quase invisível e a coroa ficaria moldada, perfeita para o dente que iria salvar.

Aí, o meu pai, vermelho do esforço do sopro, inspirou profundamente e disse: "- Porra, homem!
Não viu que de maçarico na boca eu não podia responder-lhe."

As gargalhadas que ambos deram, quase deitavam a casa abaixo, e eu fiquei com a ideia de que o Dr. Armando Pimentel era formado em Físico-Químicas.
Ele sabia imenso sobre metais, suas características, pontos de fusão, etc. etc.
Só que nunca tinha visto fazer uma coroa de ouro.
Foi um momento único!

Depois de o Dr. Pimentel sair, é que o meu pai me esclareceu que o mesmo era formado em Direito.
Aquele Homem era um Sábio.

Júlia Ribeiro

3 comentários:

Anónimo disse...

Dr.ª Júlia,
Mais estórias do Pai Barros, já.
Puur faboree..
Zé do Cabo

Júlia Ribeiro disse...

Amigo Zé do cabo:

Para as estórias do Pai Barros seria necessário um blog.

Um abraço
Júlia Ribeiro

N. disse...

Há que pensar nisso!... com a experiência que vai tendo no domínio destas "novas tecnologias", a Drª Júlia um dia destes terá q meter mãos à obra -fazemos logo aqui um link!!
Entretanto, e enquanto e não, sugiro aos interessados, um opúsculo do nosso amigo António Pimenta de Castro (professor de História na Escola Secundária de Torre de Moncorvo e residente em Mogadouro) intitulado: "O Senhor Barros Dentista", publicado no ano que acaba de passar. Para quem não conheceu o "Pai Barros" (como eu) é um belo trabalho informativo sobre uma personagem de excepção que passou pelas nossas terras. Há ainda referências ao Sr. Barros, o tal "que não era doutor", na incontornável obra de Rentes de Carvalho, "Ernestina", editada também em Holandês, pelo que até já os holandeses conhecem o "pai Barros".

eXTReMe Tracker