torredemoncorvoinblog@gmail.com

sábado, 18 de abril de 2009

Passeio da Pascoela para "desfazer o folar", na Senhora da Esperança

A tradição continua!

Aqui fica o cartaz-convite para todos participarem amanhã, Domingo (dia 19 de Abril), no Passeio da Pascoela para se “desfazer o folar” no adro da capela da Senhora da Esperança.

Para quem pretenda fazer o percurso a pé, como noutros tempos, pelo caminho antigo, a concentração é defronte da Junta de Freguesia (Avenida Engº Duarte Pacheco), com saída pelas 14;30h.
No adro da capela haverá jogos tradicionais, música, animação, convívio, enquanto se reconstitui a prática ancestral de “desfazer o folar”, neste caso antecipada para Domingo, pois o dia de preceito era a segunda-feira da Pascoela.
Depois de algumas tentativas episódicas para a sua recuperação, nos anos 80, a Junta de Freguesia de Torre de Moncorvo, com apoio da associação do PARM, procurou reatar este convívio, tendo-o organizado no ano passado, com bastante adesão. Este facto levou à repetição do evento no presente ano, esperando-se que haja cada vez mais participantes e este costume se mantenha em anos futuros.

Sobre esta tradição, aqui ficam alguns apontamentos de autoria do Padre Joaquim Manuel Rebelo, no seu livro A Terra Trasmontana e Alto Duriense. Notas Etnográficas (ed. Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, 1995):

Depois da Páscoa era a festa dos folares, em lugares geralmente junto de velhas capelinhas, que a fé dos nossos avoengos espalhou por vales e montes.
Na segunda-feira da Pascoela muitos habitantes de Torre de Moncorvo deslocavam-se, a pé, até à Senhora da Esperança, mas sobretudo, à Senhora da Teixeira, carregados com os seus farnéis.
Na Senhora da Teixeira (…) havia missa cantada e depois no adro dançava-se animadamente ao som dos acordes da filarmónica de Torre de Moncorvo ou do realejo e concertina e saboreavam-se, à sombra das amendoeiras, as merendas, onde as empadas recheadas do apetitoso presunto e do saboroso salpicão eram o principal manjar.
As azeitonas, o queijo e o vinho faziam o acompanhamento.
Ao entardecer, depois de um dia bem passado, a nível espiritual, físico e lúdico, mais um bailarico, uns beijinhos dos namorados, às escondidas, e regresso a casa com um voto de ‘qu’eu pr’ò ano lá hei-de-ir’.”


Se quiser saber como foi a festa da Pascoela /2009, clique sobre o seguinte endereço electrónico:
http://parm-moncorvo.blogspot.com/2009/04/pascoela-na-senhora-da-esperanca.html

Sobre a Festa da Pascoela /2008, pode ver em:
http://parm-moncorvo.blogspot.com/2008/03/passeio-da-pascoela-dia-29-de-maro.html
http://parm-moncorvo.blogspot.com/2008/04/passeio-da-pascoela.html

5 comentários:

Wanda disse...

Olá!
Esse é um acontecimento para não se perder!
Se eu estivesse ai, alugava um carro com alto-falante para convocar o pessoal da vila e das aldeias.
Daqui , só posso pedir a todos que participam do blog , que façam a propaganda e que também participem!
Abraços!
Wanda
São Paulo,18 de abril de 2009

meuga disse...

LINDAS ESSAS IMAGENS DAS FLORAÇÕES EM TORRE DE MONCORVO.
E ADA PASCOLEA.TAMBÉM.UM DIA AINDA HEI DE ESTAR POR AI NESSA ALTURA.
MARIA EUGENIA.
PETRÓPOLIS.18/04/09

Anónimo disse...

Hola amigos,mañana lunes como algunos sabeis,aquí en Salamanca (ciudad), se desace también el hornazo,nuestro" folar" particular.
Antiguamente el pan hornazo se abría totalmente retirando la tapa;con lo que quedaba a vista de la gente todo el "género"y los posibles,(capacidad económica).Hoy que son todos comprados este hecho no tiene relevancia.
Aquí esa fiesta se acompañó de una particular leyenda entre la gula y la lujuria.Dos pecados muy de la zona.
Que nos aproveche a todos.
Un abrazo. Angel

Anónimo disse...

Que tal Angel! Como hay decorrido vuestro "Lunes de Águas"? el hornazo? Es mejor especificar la relación entre la gula y la lujuria y la leyenda que nos conta sobre el decreto del obispo de Salamanca sobre la expulsión de las mujeres da "mala vida" para la otra orilla del Tormes en período de Quaresma. Yo sé la historia del Lunes de Águas, pero aqui nuestros amigos no lo sabem. Abrazo,
n.

Júlia Ribeiro disse...

Também desejaria ter ido à Sra. da Esperança ajudar a "desfazer o folar" .
Se a saúde não me pregar nenhuma partida, vou fazer os possíveis por estar lá no próximo ano.

Abraços
Júlia

eXTReMe Tracker