torredemoncorvoinblog@gmail.com

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Muros

Alguns MUROS caíram às primeiras palavras de ordem. Tinham tão tosca sustentabilidade, os princípios eram tão leves, os caboucos tão pouco profundos, tão mesquinhos e interesseiros que, aos primeiros encostos, tombaram. Outros, mais resistentes, não pela sua nobreza, mas pelo enraizamento nos longos dias de desertificação, iam deixando adivinhar translucidez, era como se um qualquer remorso lhe roesse na consciência e deixassem transparecer o desconforto sentido e a fazer adivinhar a sua queda para breve. Mas não se julgue que tombavam por magia, não! Gente de martelo e escopro em punho derrubava secções, abria fendas, trabalhava afincadamente para que isso acontecesse. Aos mais curiosos, era vê-los empoleirados a espreitar às janelas, às soleiras das portas, ansiosos de participar naquela caravela que velejava desgovernada. Muitos, seduzidos pelo canto da sereia, como que encantados, sem motu próprio, deixam engrampar-se pela corrente que tudo derruba. Na sede de vingança, a enxurrada tudo transportava: bons e maus, ricos e pobres. Nela boiavam cadeiras, bancos, raiva de séculos, quilos de impaciência, inconsciência, gritos de revolta.

7 comentários:

Anónimo disse...

Quero saudar esta estreia do nosso conterrâneo e Amigo, o escritor António Sá Gué, aqui no nosso Blogue, o que, julgando poder interpretar o sentimento dos colaboradores e visitantes deste espaço, muito nos honra. O convite partiu do Vasdoal, como um dos administradores e colaboradores, que inteiramente subscrevo.
O excerto de estreia reporta-se à famosa Queda do Muro, não propriamente o berlinesco, mas todos os Muros, começando pelo metafórico The Wall dos Pink Floyd - este é um dos capítulos do livro-reflexão "Na intuição do tempo", que amanhã será apresentado por Rogério Rodrigues (também nosso colaborador), na Biblioteca Municipal. A não perder!
Obrigado Ántónio, com parabéns antecipados por mais este trabalho.
N.

Daniel de Sousa disse...

Quero saudar vivamente o início de colaboração do António Sá Gué e felicitá-lo pela publicação de mais esta sua obra "Na intuição do tempo" que vem enriquecer o nosso património cultural e literário com o seu profundo significado e com a sua linguagem incisiva e de grande riqueza formal.
Não quero deixar também de saudar o ilustre transmontano e homem de letras A. M Pires Cabral, que eu muito admiro pela sua vasta e esplêndida obra e que bem recentemente foi distinguido com mais um prémio , o prémio Luís Miguel Nava , pelo seu livro de poesia "Na têmpora das cinzas". Considero-o um dos maiores poetas portugueses vivos e a sua magnífica linguagem poética é inigualável de rigor, contenção e beleza formal, sendo para mim referencial.
Abraço
Daniel

Júlia Ribeiro disse...

Correndo o risco de mais uma vez me repetir e, se o Daniel me permite, farei minhas as suas palavras, pois a sua apreciação, tão breve quanto justa, traduz aquilo que todos nós pensamos e sentimos.
Parabéns ao Sá Gué (agora já sei onde encontrar as suas obras),
e um abraço a todos.

Júlia

Wanda disse...

Olá!

Tenho os três primeiros livros de Sá Gué e só não tenho ainda "Na Intuição do Tempo"´porque encomendei a uma sobrinha que foi a Portugal e ela não o trouxe. O motivo sei que é bom, pois ela me disse que o livro logo chegará a minha casa, quem sabe trazido por um parente que há muito tempo não vejo? Oxalá!
Sá Gué é um excelente escritor. Suas narrações são ricas de detalhes e de emoções.
Tudo o que ele escreve gosto de ler, me faz raciocinar, me leva além.
Eu do lado de cá do oceano busquei uma maneira de conseguir o livro.Para vocês ai é mais fácil.


Abraços

Wanda

São Paulo-Brasil

António Sá Gué disse...

O convite já me tinha sido feito, há uns tempos atrás, pelo amigo Nelson, aliás, na altura da partidela da amêndoa. Nessa altura declinei porque achava que não tinha engenho, nem tempo para poder participar e retratar de forma activa essa moncorvidade que este belo blogue pretende captar. Continuo a pensar o mesmo mas seria ingrato se não fizesse mais, principalmente, quando me vejo retratado por tão belas palavras, que penso não merecer. Não é falsa modéstia...
Obrigado,
Abraços.

TM in blog disse...

Para os/as fãs de António Sá Gué, aqui fica o endereço do seu blogue (aliás, está linkado ao TMinblog):
http://antoniosague.blogspot.com/

TM in blog disse...

Claro que é muita modéstia, caro António. Em boa hora registamos a adesão, que é obviamente uma mais-valia.

eXTReMe Tracker