torredemoncorvoinblog@gmail.com

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

“Street Marketing Douro” anima 19 concelhos

Uma comitiva de 21 automóveis está a percorrer a Região Demarcada do Douro, numa acção de sensibilização e promoção do potencial da sua actividade turística organizada pela comissão instaladora da Turismo do Douro.


A iniciativa “Street Marketing do Douro” culminará com a realização do “I Concerto Ano Douro”, no Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, no próximo dia 27 de Dezembro. Os automóveis que participam nesta acção inovadora animam os 19 concelhos que constituem a mais antiga região demarcada do mundo, numa viagem que pretende provocar um impacto positivo junto da população local e incrementar o seu sentimento de pertença em relação a este território.

Na sede dos concelhos, os veículos concentram-se em frente às câmaras municipais. A Turismo do Douro, com futura sede em Vila Real, compreende o território abrangido pelos municípios de Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Lamego, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Murça, Penedono, Peso da Régua, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, S. João da Pesqueira, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca, Torre de Moncorvo, Vila Real e Vila Nova de Foz Côa.

A nova estrutura terá por missão promover a oferta turística no mercado interno e colaborar na definição da promoção da região no mercado externo, identificando e dinamizando os produtos turísticos regionais





Fonte:[Notícias de Vila Real]

8 comentários:

Anónimo disse...

A promoção turística de Moncorvo não se faz com passeios que integrem outros concelhos que possuem as suas armas e se aglomeram em pinha na região do tua. Assim, como a Região de Turismo do nordeste (soa a brasileiro) Transmontano foi parida para Bragança e Montezinho.
Freixo, Foz-côa, Vila Flôr, são os nossos parceiros naturais e é aí que se deve apostar.
Mas , também Moncorvo tem que definir o que quer e como fazer.
Aproveitar o que vem do governo central, da U.E. sem desperdiçar um euro em fogo de artificio antes da festa. Tem que destapar o T.A.P.A. e deitar fora as escórias.
Tem que saber porque a visitam e o que procuram?
O grau de satisfação ,as falhas detectadas...
As valências que possui : museu ,salas de congressos, biblioteca ,parque desportivo,douro,sabor ,reboredo minas de ferro, turismo rural ,restauração, hotelaria ....
E acima de tudo ter uma identidade turística própria.
São só pequenas achegas, muito há a dizer e a fazer.
Zé do cabo

N. disse...

Tem que se aproveitar tudo, caro Zé do Cabo! Mas isto até parece que está tudo meio estudado. Só falta mesmo é o "mãos à obra". E agora parece que vem aí uma espécie de região de Turismo para o Douro. O problema é que parece que é só mesmo "uma espécie de..." - vamos ver no que dá.
Quanto a estes passeios automóveis, bem eu preferia que fosse um meio mais ecológico, mas a verdade é que a região do Douro é muito declivosa para bicicletas... Porque não a cavalo? ehehhe - Sei que o Clube de Automóveis Antigos tem tb promovido uns passeios do género; além dos "motards". Tudo que seja para divulgar a região e dá-la a conhecer ao pessoal "lá de baixo", é bem vindo, acho eu.

Anónimo disse...

A região de turismo do douro é até á nesga?
Eu sei que uma nesga tem o seu charme ...
Passeios de burro à fragado dos Estevais,atrvessar o Reboredo até ao Peredo.
Transformar a antiga linha de Carviçais ao Pocinho para passeios a pé, de bicicleta, de burro...
Mesmo no banco dos réus é agradável falar de nós ..(estrangeiro,camus?)
..pessoal lá de baixo e prós lados.
N.um dia falamos a sério sobre tudo isto .Todos temos que escavar até encontra-mos o mapa da "mina".Moncorvo ( seu entorno) e a sua gente merece-o.

Zé do cabo

N. disse...

Caro Zé do Cabo, aceito o repto! acho q sim, temos q marcar um simpósio sobre esta temática: Turismo & património: as potencialidades, o que já se fez, o que falta fazer - tópicos para uma estratégia integrada.
A filosofia do progama PROVERE para o Douro e associação de municípios do vale do Côa vai nesse sentido. E o Provere é um bilhete de acesso ao famoso QREN. O problema é q os obstáculos (barreiras burocráticas) tb são sempre muitos e quando toca às massas comunitárias parece que toca sempre aos mesmos...
Quanto "aos lados" tem razão: aqui com a Espanha tão perto.... (embora eles tenham por lá uma oferta mt diversificada, em que o turismo é mm uma indústria - são só o 2º maior destino turístico mundial, apesar das ETA's...)
Vamos a isso!... (que este blog, com os seus congéneres sobre os concelhos vizinhos, cumpram tb a sua missão de "pescar" visitantes para este Reino Maravilhoso, com a devida vénia a Miguel Torga...)

Anónimo disse...

O êxito da oferta está na diferença da proposta.
insisto; o que temos para oferecer, já!
Boa gastronomia? e as casas de banho?
Quem fala espanhol? Nem portunhol!
Amêndoa coberta com amêndoa ou amendoim?
Os horários de visitas são os da função publica?
Há guias turísticas; pessoas, papel, suporte informático ?
O turista esbarra com a informação ou precisa de G.P.S.?
Vá a fragada dos estevais que tem uma vista do carago!
Sim e depois?
Pode-se tomar pequeno almoço e ir à casa de banho?
Tem cobertura o telemóvel? e wi-fi para o portátil?
Estas e muitas outras são as pequenas coisas que afastam ou aproximam as pessoas.
Não se pode construir a casa pelo telhado.
VAMOS AO SIMPÓSIO!
O muro das lamentações está em Israel e os nossos sefarditas são activos.
Zé do cabo

N. disse...

meu caro Zé do Cabo,
Começando pelo fim, sempre lhe digo que o nosso "muro das lamentações" está na muralha que resta do castelo da Torre de Moncorvo, em má hora destruído no século XIX! Mas, em contrapartida, há a intenção de se localizar um centro interprtetativo dedicado à vila medieval, no interior do mesmo, com entrada pelo lado de onde era o stand Moreira;
E quanto ao resto, olhe q as coisas estão a melhorar: já não há café q não tenha casas-de-banho decentes, há poucos, mas alguns sanitários públicos, há gente com alguma formação nos pontos-chave (postos de turismo) e há cursos de formação nessa área que estão a decorrer, neste momento, p. ex. em Torre de Moncorvo (cursos de especialização tecnológica, do IPB, com apoio do município); há alguma sinaléctica e desdobráveis para se chegar aos pontos de interesse; não há, seguramente, amêndoa coberta com amendoim (há quanto tempo está fora?); quanto aos horários, a igreja matriz cá do sítio está aberta aos sábados e domingos (só encerra às segundas-feiras, como todos os monumentos com guardaria do Ministério da Cultura); o Museu do Ferro idem, idem, e no verão fecha só às 18 horas, para dar mais algum tempo fora das 17;30h da hora de fecho da função pública... E tudo isto só para falar de T. Moncorvo, pois não conheço bem o panorama aqui à volta; mas garanto que já estive (ainda no ano passado) no museu de Vila Flor num domingo à tarde, com bom atendimento por parte do senhor que está lá e que é um carola dedicado e voluntarioso. Freixo de Espada à Cinta inaugurou no passado sábado um belíssimo museu, ainda que pequeno muito bem estruturado, no ediício da antiga cadeia do concelho (imóvel talvez do séc. XVI), além de um investimento considerável que têm feito de há uns anos a esta parte; tem um barco cabinado que lhe permite cruzeiros no rio Douro, com dois percursos (um maior e outro mais breve) a partir da praia fluvial da Congida. Mesmo no Inverno pode fazer o percurso, como no Reno, aos sábados e domingos... Com uma simpática guia, licenciada em História, e que até fala espanhol além de Português, claro!, pois é originária de Freixo.
Podia dar-lhe mais exemplos positivos, que provam q as coisas estão a mudar. Falta ainda muita coisa?, concerteza! As coisas evoluem mais devagar do que gostaríamos?, pois é verdade! Há por aí ainda muitos grãos de areia nas engrenagens? tb é verdade... Mas olhe que já não estamos no zero. Em todo o caso, o simpósio, ou colóquio, ou Encontro de todos os interessados nestas questões, acho que se pode fazer, sobretudo para se porem em comunicação os agentes dos concelhos vizinhos e outros possíveis agentes que andam aí por longe, e que se podem converter em embaixadores aqui da "nação" - também no sentido judaico... Já que se Israel continua a existir, cercado de inimigos, muito deve aos lobbies que estão nos altos areópagos do mundo inteiro (congresso dos EUA, alta finança, etc) e que não esquecem o tal rincão , que é também o seu lugar de Resistência!

LOPES disse...

Saiba o senhor Zé Cabo que Torre de Moncorvo está inserido no Douro Superior e vinhateiro, portanto todas as iniciativas que decorram no Douro a Moncorvo pertencem.
Eu não fomento guerras e caso o senhor tenha vontade proponha iniciativas da sua parte, saiba o senhor que ao deixar comentários anónimos não tem qualquer fundamento, porque o senhor até se pode chamar Zé da Lancha entre outros, mas queria saber que está mais que identificado. obrigado

Anónimo disse...

Não tem de quê.
Zé do cabo

eXTReMe Tracker