torredemoncorvoinblog@gmail.com

terça-feira, 3 de junho de 2008

Sanchas (in Contos de Rodapé)

Chegou o dia de fazer a ronda lá naquele sítio, onde as multas eram como as sanchas, por causa do bicho da caça. Os moradores entendiam que os limites já ultrapassavam tudo e, por isso, preparam uma recepção ao Inácio e ao Acácio que vinham à pata desde o posto da vila de Moncorvo. Saiu-lhes na rifa do serviço a visita ao martirizado povo da Lousa, enquanto o sargento da G.N.R. montava a única mota de soco, designação bem popular para o side car, que existia no quartel.
A caminhada fez-se logo de manhãzinha e, passado algum tempo, já os dedos dos pés se zangavam com as paredes das botas. Tiveram o préstimo de umas fragas que lhes ajudaram a encolher a língua que teimava lamber o queixo. O caminho ainda estava meio por cumprir e os bornais batiam-lhes nas costas a pedir para serem aliviados, mas o repasto só seria num banco da taberna no local de destino. Podia ser que ainda apanhassem algum caçador em contramão, ou algum filho menor de pastor com o rebanho! Assim o rol de multas podia fazer brilhar os galões da falta de bom senso.
À hora que os bornais de cotim militar, recheados de pão, chouriça e queijo, deixaram de beliscar as capas dos guardas, estavam estes a escolher um banco mais recôndito da taberna.
- Ora muito bom dia, traga cá dois copitos para fazer escorregar melhor esta merendola ! – fumegavam as palavras dos encapotados.
- É para já meus senhores ! Bem precisam de comer e beber porque a faina é pesada! – remordeu o taberneiro com um olhar seco.
- Pois está claro, também não viemos aqui por umas cascas de alho...
- Os alhos irão ser engolidos inteirinhos! - remoeu o homem, enquanto lavava o sarro de uns copos.
As espingardas que tinham estado a descansar, encostadas à parede do tasco, desapareceram num bocejo e voltaram depois, nas mãos de uns manganões lá da terra.
- Não sabem no que se metem! Passem para cá as armas! - berraram os guardas.
- Oh, oh! Não se deve deitar fora a nossa energia antes de se começar a trabalhar! Poupem-se bem poupadinhos, porque o arado já está à vossa espera. E já agora, vamos até àquela horta, para aparelhar as crias! - ordenava, entre risos sérios, um dos malandrecos.
Não faltaram mãos amigas a colocar-lhes a belfa no cachaço, a canga e todos os arreios. Assim que estavam prontos, rebentaram as vozes de incentivo aos rebocadores do arado. Até o burro da horta juntava a sua voz à da população, agraciado com menos um cibo de terra para virar.
Mais esverdeados que duas sanchas, não só pelo esforço de revolver o cabelo da terra, mas também pelo medo à gente da Lousa, lá regressaram ao posto com o coiro moidinho, os pés de chumbo e o bornal a dançar ao sabor das passadas.

1 comentário:

n. disse...

Caro Vasdoal, espero q não sejas chamado à colação por bia deste "conto de rodapé". Realmente este episódio verídico, fosse assim ou de outra maneira, ocorrido nos anos 40 do séc. XX, ficou altamente célebre. Uma vez, nos inícios da década de 90, tendo eu passado por Caçarelhos, nos confins de Vimioso, e tendo dito que era de Torre de Moncorvo, logo uns velhotes perguntaram: Moncorvo? isso não é ao pé daquela terra onde puseram os guardas a lavrar?? eheheh... O certo é que não lhes saíu barata a brincadeira aos da Lousa. Foi lá depois a GNR em peso, a restabelecer a honra perdida (isto nos tempos do "Tudo pela Nação, nada contra a Nação", sendo que os guardas eram propriedade da Nação, tá bom de imaginar-se a gravidade da situação...). Os "meliantes", não sendo perigosos comunistas, tinham ousado o inimaginável. Por isso não lhes restou alternativa senão fugirem para as ladeiras do Douro e andarem escondidos em buracos, onde, pela calada da noite, as mulheres lhes iam levar umas merenditas escondidas. Uns parece que conseguiram escapar-se para o Brasil, mas os apanhados acho que foram condenados a pesadas penas e deportados para África. Talvez alguém da Lousa nos possa contar melhor o episódio. Fica o repto.
Só não percebi aqui onde é que entraram as "sanchas" (cogumelos)... - Será que os agarraram pelas "sanchas" (orelhas)?? eheheh

eXTReMe Tracker