torredemoncorvoinblog@gmail.com

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Foz do Sabor

Descendo da estrada de Moncorvo para o rio Sabor, atravessando a ponte ,estamos na Foz do Sabor. Nesta aldeia do concelho de Torre de Moncorvo, encontram-se o Sabor e o Douro, dois rios que embelezam a aldeia e atraem grande número de visitantes na altura da época balnear.
Nas margens do rio Sabor, podemos encontrar barcos dos pescadores da Foz do Sabor, pois aqui comem-se uns peixinhos fritos, estaladiços, bem deliciosos e as tradicionais migas de peixe.




Merece a pena fazer uma visita a esta linda aldeia, pela beleza paisagística que o Sabor e o Douro nos proporcionam, pelos banhos na praia fluvial ou não seja para comer uns peixinhos fritos e umas migas de peixe.

19 comentários:

Anónimo disse...

Como me recuerda la "panzá "de peixes,de este verano;y que vino.
De esta primavera no pasa que vuelva con algunos amigos de por acá.
En Salamanca hasta hace algunos años se podía pescar con red y disfrutar de unos peces fritos en muchos lugares.Disfrutad de ellos mientras podais.La burocracia y Europa avanzan inexorables.
Un fuerte abrazo .
Siente lo de la moderación,yo no soy partidario,pero siempre me tendreis a vuestro lado. Don Quijote hubiera dicho:Ladran,luego cabalgamos.
Angel

N. disse...

Viva Ángel! Si, nuestras peligrinaciones à la Foz do Sabor quedan siempre memorables! Viene, hombre, y traz más amigos (que tal Mariquelo? ja tenemos "saudades", la palabra que no conocéis...)
Sobre lo demás - la moderación de los comentários - también compartía tu opinión, pero cuando no hay civilidad tiene que ser así. El Quijote siempre tiene razón, pero es mejor que los perros ladren lejos...
Abrazo,
N.

Anónimo disse...

Caros Nelson y Angel,
Tema:
Peixes (Foz, ver fotos de Jorge Martins e de Leonel Brito) .
Desvios de comportamento (o que se passou no blog)
Dois punhados de prosa de Quixote e basta:

Comenzaron a comer con grandísimo gusto y muy de espacio, saboreándose con cada bocado, que le tomaban con la punta del cuchillo, y muy poquito de cada cosa, y luego al punto, todos a una, levantaron los brazos y las botas en el aire; puestas las bocas en su boca, clavados los ojos en el cielo, no parecía sino que ponían en él la puntería; y desta manera, meneando las cabezas a un lado y a otro, señales que acreditaban el gusto que recebían, se estuvieron un buen espacio, trasegando en sus estómagos las entrañas de las vasijas. Todo lo miraba Sancho, y de ninguna cosa se dolía; antes, por cumplir con el refrán, que él muy bien sabía, de «cuando a Roma fueres, haz como vieres», pidió a Ricote la bota, y tomó su puntería como los demás, y no con menos gusto que ellos.
Señora mía, sepa vuestra señoría que todo el mal desta doncella nace de ociosidad, cuyo remedio es la ocupación honesta y continua. Ella me ha dicho aquí que se usan randas en el infierno; y pues ella las debe de saber hacer, no las deje de la mano; que ocupada en menear los palillos, no se menearán en su imaginación la imagen o imágines de lo que bien quiere; y ésta es la verdad, éste mi parecer y éste es mi consejo.

Quando for aí , passo pelo Corte Inglês ,no alto do parque Eduardo VII e compro, na bodega, umas botelhas de tinto de Ciudad Real para assentar ideias.

Zé do Cabo

Anónimo disse...

E uma degustação da matança/ chacina do reco/cerdo para fazer boca antes da primavera? E um roteiro gastronómico ;
Da Foz a Mazueco by N.Angel
Se aceitam o repto pago umas migas de bacalhau com batatas, tinto incluído.
Zé do cabo

N. disse...

Viva, Zé do Cabo e Ángel!
Excelente e truculento naco de prosa quixotesca, mesmo carecendo de dicionário para o meu enferrujado e nem por isso muito bom Portunhol (p. ex., o que serão "randas", serão as rendas ou rendalhos que as nossas mulheres transmontanas faziam ao serão?? e os "palillos" serão as agulhas de as tecer manualmente?? - ora cá está outra tradição que se poderia postar aqui no blog, com fotografia a condizer, das mulheres que dantes se viam ao soalheiro nesta típica actividade...).
Quanto à digressão gastronómica, pois aceito o repto! Talvez mais para Fevereiro (no Entrudo seria boa opção, não?) , e tenho a certeza q o Ángel está de acordo (pela-se por estes "conbíbios"!...).
E a acho q os outros colaboradores e amigos tb estariam interessados. Organize-se uma comissão organizadora! Abraço,
N.

Júlia Ribeiro disse...

As minhas netas ainda têm meias de renda (hoje uma raridade e para nós uma relíquia) que a minha mãe lhes fez. Ao soalheiro da capela de S. Sebastião. Na Corredoura, claro...

Anónimo disse...

Para enamorados del Quijote,siempre hay un azumbre de vino en la bodega de Angel.
El personaje que postó Leonel,seguramente lo hubiera plasmado Velazquez,bien junto al aguador de Sevilla,la mujer mayor friendo huevos,en alguno de los borrachos,o en la propia fragua de Vulcano.Todo arruga ,todo bondad.
Esa forma de sujetar el pez con el dedo,cortar el queso a tasajos,trinchar con la faca,son detalles autenticamente pastoriles.Sancho no lo hubiera hecho mejor.
Tener un heroe así,dignifica Leonel.
Zé do Cabo,se acepta el reto,la ruta gastronómica.
Nelson comissão organizadora ya.
Un fuerte abrazo.
Angel

N. disse...

Grande Àngel!! Sí, sigue siendo un personage velazquiano, el nuestro "Leva-leva", que los dioses "en su infinita misericordia" han levado... Y aprovechando nosotros también tu infinita misericordia de unos pobres peligrinos, no tardaremos a organizarnos para la dicha ruta gastronómica a la já célebre Bodega de La Solana. Esperando en cambio después tu costumera visita por la época de las Almendreras en Flor, que no tardarán, así passe el frío.
Estrecho abrazo por arriba del artificialismo fronterizo!
N.

Anónimo disse...

Nelson,Angel,

Data/fecha
Ementa/menu
Foz ,1º prato
Mazueco,2ºplato
Bogas/Pez e reco/cerdo
Vinho/vino= pomada do Peredo/ y de la tierra
Apostila:
Entrada ,dois/dos lombos/lomos de reco/cerdo cozinhados à Dona Antónia (Mãe da nossa Júlia).
Resposta na volta do correio
Zé do Cabo

N. disse...

Bem, eu atirava lá para o dia 21 de Fevº. (um sábado), porque, nessa data - fica já a informação - vai ser inaugurada no Museu do Ferro (ex-quartel da GNR, para quem ainda não sabe!) uma exposição fotográfica do nosso colega e Amigo Aníbal Gonçalves. A exposição intitula-se: "DETALHES em Ferro", a inauguração está previsa para as 16;00 horas, mete beberete e coisa e tal... e aos depois: poderemos peixeirar lá para as bandas da Foz (necessariamente terá q haver marcações, pois a merenda tem que ser de encomenda). - Isto quanto à parte moncorvense do programa; mas como esse fim de semana se prolonga um bocado, com a "ponte" do Entrudo, se calhar até não há problema para quem vem de longe, em fazer-se então, no dia seguinte (Domingo, 22) a apregoada visita à Adega/Bodega do Ángel, em Mazueco, pois não é muito longe, indo por Freixo de Espada-à-Cinta... A menos que os "peixes" caiam um bocadito mal e provoquem alguma ressaquinha que inviabilizem a "ternera merucha" ou uns nacos do nosso ancestral deus "Porco"/Cerdo, ehehehe - quem ficar mal disposto, não vai, por isso, lá teremos de nos "portar bem", ou adiar para outra data... mais carnavalesca!
Aceito mais sugestões. Abraço,
N.

Júlia Ribeiro disse...

Olá, Nelson:
Mas que pontaria a minha: estava a pensar no dia 21 de Fevº para a apresentação do meu continho deste Natal no auditório da Biblioteca de Moncorvo...Mas também posso ( de acordo com a ocupação do auditório ) mudar para 28 ou combinar com a Dra. Helena qualquer outra data. Pelo meu lado, felizmente, já não há horários nem obrigatoriedades. E é um alívio poder dizer-se isto.

Um abraço
Júlia Ribeiro

Anónimo disse...

Nelson,Júlia,Helena,Aníbal,
Organizem-se!
Todo à uma como em Fuenteovejuna .
A diáspora agradece.
Zé do Cabo

Nelson Campos disse...

Viva, Drª Júlia!
Que pena! sabe que a programação cultural cá do concelho é acertada com cerca de 1 mês de antecedência sempre em relação aos 2 meses a que respeita a programação? (a Agenda é bi-mensal). Assim, como a nossa actividade já se encontra marcada desde final de Novº./início de Dezembro, saíu na agenda em vigor a partir agora do início de janeiro e que regula as actividades até fim de Fevº.. Quero eu dizer com isto que não podemos alterar.
Por outro lado, estive a ver agora na dita Agenda, o dia 21 está recheado de coisas, pois começam nesse dia as festividades da Amendoeira em Flor, as quais se prolongam até inícios de Março.

Por exemplo: dia 21/02/2009:

11;00h - inauguração da Feira de Artesanato, com actuação da banda de Carviçais,
12;00 - inaug. da exposição "Arquitecturas da paisagem vinhateira", do Museu do Douro (no Centro de Memória)
15;00 h - Actuação da banda de Carviçais
16;00 h - inaug. da Exposição "Detalhes de Ferro" (fotográfica), de Aníbal Gonçalves, no Museu do Ferro;
22;00 h - actuação de Viva Brasil e Márcia Valli, no largo da Corredoura...

Por outro lado, dia 28/02/2009, a única coisa em Agenda, no ãmbito das festividades, é uma actuação da Claudisabel & E.Santana, às 22;00h na Corredoura.
Combine da melhor forma com a Drª Helena, mas parece-me que 28 seria melhor para todos! - Em todo o caso gostávamos de a ter por cá na Exposição do Aníbal, porque, se aceitarem a minha sugestão, faríamos também nessa data o "Conbíbio" dos blogueiros... (com peixinhos da Foz como entrada, depois via-se o programa com o nuestro hermano Angel, que gostaria muito que conhecesse).
Grande abraço,
Nelson

AGoncalves disse...

Bem, eu ando de dieta... mas para uns peixinhos alinho... com uma condição: o Angel (e companhia) não se esquece dos instrumentos musicais para animar a festa. A flauta e o bombo ajudam a criar o "clima", para um bom encontro entre amigos. E se fizer frio como hoje, sempre podemos dar uns saltos, para aquecermos os pés.
Aníbal

Anónimo disse...

Ah, faltou-me acrescentar um paliativo: a grande atracção do dito cujo Encontro é descobrir-se, afinal, quem é o Homem da Máscara de Ferro...
um tal de Zé do Cabo!!...
(sei que já há por aí apostas... - como não tenho sorte ao jogo, não arrisco; prefiro esperar para conhecer...)
Abraço,
Nelson

Anónimo disse...

Caro Aníbal,
onde houber binhaxa, num há frio, home!!
mas os instrumentos são mesmo boa ideia! (eu como não sei tocar nada, bato as palmas, eheh)
abraço.

Anónimo disse...

Hola amigos,este es el caracter de la tierra del vino,en cuanto hablan de comer,beber y fiesta,se disparan los comentarios,y eso si;todos para ponerse de acuerdo.
Hablando de frío,-4 grados marca ahora el termometro en Salamanca.
A lo demas,todo que si:os peixes,porco,etc.
Anibal ,la gaita y el tambor nunca faltan si hay vino.
Un abrazo,Angel

Júlia Ribeiro disse...

Amigo Zé do Cabo:

Fala dos cozinhados da minha mãe... Portanto conheceu-a.
Era, de facto, uma cozinheira de mão cheia: chamada para cozinhar em casamentos e baptizados. As migas de bacalhau que ela fazia ! E o cabrito em forno de lenha! E as alheiras ! E as sobremesas!
E, quando mais nada havia para comer, até as "batatas solteiras" com salada de azedas sabiam pela vida. Enfim... tudo isso recordo com muita saudade.
Não há dúvida que o apego ao torrão também passa pelo que se comia na meninice e na adolescência.
Um abraço,
Júlia Ribeiro

N. disse...

Huuumm.... aposto que o Zé do Cabo, atraído pelas reminiscências desse cheirinho dos cozinhados da Srª. Antónia "Biló", acabará certamente por aparecer! Pena que ainda não haja azedas por esse tempo, mas lá se há-de arranjar outra coisa - ou só os peixes com pão, à Leva-leva, e muita binhaça cá das fragas do Douro e Vilariça, são motivo suficiente!
Há q tocar a reunir!!!

eXTReMe Tracker