torredemoncorvoinblog@gmail.com

domingo, 24 de maio de 2009

Chafariz Filipino

Em 1549, o cronista João de Barros noticiava que a vila de Moncorvo possuía "hu Chafariz de mais de quarenta palmos (...) no meio da Praça". Naturalmente que não poderia ser o actual chafariz, que tem gravada a data de 1636.
Nem sempre foi fácil conseguir trazer a preciosa água da serra até à vila. Houve problemas com a comunidade franciscana do Convento de São Francisco que reclamava a posse das nascentes da serra.
Em 1628 a Câmara de Moncorvo arrematou a obra do chafariz ao arquitecto António Fernandes, que levaria cerca de dez anos a ser terminada. Em 1887 o chafariz da praça seria destruído por ordem do então presidente da Câmara, António Pontes e as diversas partes andaram aos tombos por vários locais da vila (daria um bom conto).
Há alguns anos a Câmara de Torre de Moncorvo realizou um projecto público com vista a reconstruir o chafariz, aproveitando os elementos originais que estavam na sua posse, sendo o conjunto reposto na Praça Francisco Meireles.
O chafariz insere-se num tanque de formato quadrangular, assentando sobre uma base quadrada. No primeiro registo forma um depósito bolboso decorados com uma carranca, da qual jorra a água. Sobre este foi edificado um pináculo, que remata a estrutura. Na base do conjunto foi gravada a inscrição "FEITO NO ANO DO SENHOR DE 1636 POR ORDEM DE DOUTOR JULIÃO DE FIGUEIREDO, PROVEDOR E CONTADOR NESTA COMARCA, À CUSTA DO POVO".
Este chafariz está classificado como Imóvel de Interesse Público.

Fonte do texto: IPPAR

19 comentários:

Anónimo disse...

Vivo em Setúbal e nos anos sessenta andei no Campos Monteiro. Sou sócia da AAACM e no dia 6 tenciono estar em Moncorvo. Já me inscrevi para o almoço e passeio a Freixo. Costumo passar pelo vosso blog ,pois está muito bem feito .Agora,isto!

Presentemente tenho mt que fazer, por isso não estranhem a minha ausência. Cps,
n.
21 de Maio de 2009
Onde é o encontro?.....
Quem e onde se podem fazer as inscrições?(é para todos?)
L.R.
22 de Maio de 2009 12:37

Não sei onde vai ser o encontro e o repasto, mas o amigo Nelson é o rapaz indicado para tratar do assunto.
Júlia
22 de Maio de 2009 22:04
saí do grupo de colaboradores do blogue,
Leonel Brito

23 de Maio de 2009 15:53
Júlia Ribeiro disse...
Já não é só a primavera que está um tanto triste, o blog também está a ficar um tanto tristonho.
Já ninguém "aposta" nada há uns dias ...

Que se passa?
Também eu tencionava ir à festa do blog. Tenho lá amigas e amigos.
De Setúbal ,
com saudade,
Ex-aluna

Wanda disse...

Olá!
Para dar uma animadinha no blog, que a Júlia, com razão, diz estar um pouco triste.

Um poema ao chafariz:

O Senhor nosso é eterno
Dentro da torre petrificada
E brilha como o incandescente sol

De seu tempo de memórias
Erguemos sua última esperança
Em pilar para o novo dia

Nossa prece atende pela vida
Como fonte de renovada alegria
Pelo mundo de suas origens altivas


Já tive a oportunidade de comentar a foto no flickr
Muito bonita , algo que jamais poderá ser repetido, mas que fica registrado para todos apreciarem.
Abraços
Wanda
São Paulo, 24 de maio de 2009

Júlia Ribeiro disse...

Acabo de ler as anotações, por ordem cronológica, desta nossa conterrânea, moradora em Setúbal, ex-aluna do Colégio Campos Monteiro e verifico que ela tem razão.
Eu sou muito despistada e, por, vezes, há comentários que me passam. Foi o caso do comment do Lelo.
Mas ela fez uma recolha criteriosa e a sua pergunta tem razão de ser.

Ora bem, isto é como nos 3 Mosqueteiros - que afinal são 4 - e nós somos muitos e é "um por todos e todos por um".

Um grande abraço
Júlia

Anónimo disse...

As fontes do texto da fonte?
É só para ler mais,pois é um tema que me interessa.

Anónimo disse...

Qualquer blogue (escrito à portuguesa e julgo que também ou principalmente à brasileira), tem altos e baixos. Sendo visada uma terra que já foi relativamente grande, no seu meio - e, agora, se não o é para os que assim o entendem, é-o ainda para os que lá nasceram ou criaram «raízes» - não é para admirar que se teçam loas a tudo o que mexe ou não mexe, por um lado, ou apeteça desancar em tudo o que não foi feito em ordem a colocar mais centralidade na vila, por outro lado.

Tem-se em vista a possibilidade de o aglomerado urbano em referência não vir a ficar eternamente em deslado das cidades transmontanas e de outras vilas que há pelo país fora, que, segundo alguns «viajantes», estão um bom passo adiante. Nesse sentido, só uma ampla visão que radique na tentativa de equacinar os males endémicos - de que, comummente, ninguém tem culpa - nos pode
colocar na plataforma do poder consistentemente ousar, com a ajuda de alguns «beneméritos».

Quando uma pessoa tem algo que a leve a inclinar-se sobre determinados dados, acautela o discurso e evita o desbragamento, ainda que o emocional contido, para muitos por décadas de distância, seja de certo modo curto-circuitado em face da facilidade do teclar e enviar, o que, enviesando «gravemente» o contacto directo e colocando em rodopio o factor qualidade.

Assim como assim, por esta via há o milagre de vozes «do além» se transmudarem em aquém, o que já não é nada mau, tanto mais que cada um é e pode continuar a ser senhor dos seus silêncios, virtual e realmente.

Podíamos avançar em grupo, como uma divisão de um exército? Não sei, mas duvido.

A vida é o que é.

Carlos Sambade

Wanda disse...

Olá!
Anonimo
O texto da fonte é o que eu escrevi?
Já que gostas , aqui vai umas quadrinhas !

O velho chafariz!


No meio da praça o chafariz
Água da serra para Vila
E franciscanos para servi-la
Antonio Fernandes á trabalhar
Dez anos para acabar

Feito no ano do senhor
de mil seiscentos e trinta e seis
A custa do povo, e por ordem do provedor
Julião de Figueiredo, no tempo de reis

Antonio Pontes, resolveu um dia pra derrubar
Pedaços da fonte em Moncorvo a rolar
Dinheiro suado do povo é ignorado
O chafariz em qualquer sitio jogado

No meio da praça o obelisco reconstruido
Com projeto público e usando peça original
Praça Francisco Meireles, heis o local!
Sem carranca e quadrangular
Ali eternamente há de ficar!

Abraços
Wanda
São Paulo,24 de maio de 2009

Wanda disse...

correção
Na última rima

Com carranca e quadrangular
Ali eternamente há de ficar!


Wanda

Anónimo disse...

Estava tudo tranquilo, olham para o charco, sapos e rãs olhando para nós e nós assobiando. Era a tertúlia dos unidos . Posto eu e dizes bem tu , postas tu digo bem eu. E lá íamos…Mais uma vez o Rogério Rodrigues atirou uma pedra pró charco .Os sapos saltaram ,o lodo abriu em circulo e fundo apareceu. Mudam-se os tempos mas não se mudam mentalidades. Unidos venceremos dizem uns, unidos divertimo-nos dizem outros-
Entendeu?
H.E.j
8 de Maio de 2009 18:49

E agora entenderam?
Júlia,amigos ,
Vou passar uns dias a casa da Lélia e do Zé .Há tinto do bom e melhor tertúlia.Dia 6 jantamos todos no Lagar para dar de beber à dor, como dizia a Amália.
Inté 6 blog.
H.E.j

Anónimo disse...

Wanda,
Lembra-te da doença incurável de Don Quijote.
Gosto muito de ti lousaninha...
C.V.

Anónimo disse...

Ninguém diz nada. Quando ,como e quem (encontro blogueiro).Só a Júlia respondeu à colega de Setúbal . Apetece-me ser imburrente e dizer ,assim não brinco.
Vou a Moncorvo ,abraço velhos amigos, assino os abaixo assinados combinados , paramos para um sermão aos peixes na Foz e ala que se faz tarde.
Até dia 6.
L.R.

Anónimo disse...

Aos responsáveis do blog,
Escrevi uns textos/comentários sobre turismo ,tentando contribuir com a minha experiência .O ultimo foi um GPS para a Wanda.
Julgava, como a Júlia (três mosqueteiros),Nelson (parábola dos 7vimes).
Não andei no Colégio e, sem o encontro do blog, fico por Lisboa.
Quanto a eventuais novas participações ,creio que não vale a pena.
M.C.

Júlia Ribeiro disse...

Ora, Amigas e Amigos :

Lélia, Moncorvense em Setúbal, H.E.Júnior, M.C. e todos os outros
blogueiros ou simples visitantes : continua a ser como nos 3 Mosqueteiros; nada impede um grupo de bons amigos - uns que já se conhecem, outros que vão conhecer-se - de irem ao Lagar (ou a outro qq lugar - até rima e é verdade) petiscar umas coisas boas e beber um tintol e conversar e estar bem disposto.
Eu, vou. (Não é para Maracangalha, nem vou convidar a Anália, mas convido todos os que estavam na disposição de ir nesse dia jantar a Moncorvo e agora estão a hesitar. Então, e o abaixo-assinado? E a placa para a nossa Mestra? E julgo que ainda era mais qq coisa ...).
E nós não somos imborrentes, pois não, Lélia?

H.E.J. : Entendi, sim senhor. Quem fala assim não é gago.

Pois então, está combinado.

Um abraço grande, pelo menos até à Fraga do Facho,
Júlia

Anónimo disse...

Lembro-me da fonte na Praça Nova (só a taça).
Lembrei-me ,agora de reler o blogue.
Dizia-me a minha mãe: "Candas a tcheirar? Não te metas onde não és tchamado".E o meu pai ,mais prático: "Mete a biola no saco.Quem está de fora ratcha lenha.E vai à praça a ver se eu lá estou".E eu não ligava.
Lembrei-me agora que tenho um velho L.P. dos Doors com The End.Passo-o para o mp3 e vou à praça ver se lá estou.

Um braganção em despedida

Anónimo disse...

Eu cá sou mulher de palavra: assino tudo o que se combinou.
Não desisto por dá cá aquela palha.
Venham mais cinco,mais dez,venham todos!
Até dia 6,cambada!

M. da M.

Júlia Ribeiro disse...

Caríssima Maria da Misericórdia:

Ah, mulher d'armas! Estou consigo. pois claro.

Abração,
Júlia

Anónimo disse...

Em tempo, ressalvo, no texto de ontem: em vez de

o que, enviesando

deve ler-se

o que enviesa

E mais não digo, que nesse microclima serrano não chove à moda do Porto, a tal miudinha, designada frequentemente de molha-tolos, mas troveja, relampa, assomam chuviscos de permeio (ou chuvascos, à galega e como também os nossos antigos diziam).

Se puder, eu vou, mas não sei nada de nada do que se está a passar. Dói-me, efectivamente, a garganta.

Carlos Sambade

N.Campos disse...

"...continua a ser como nos 3 Mosqueteiros; nada impede um grupo de bons amigos - uns que já se conhecem, outros que vão conhecer-se - de irem ao Lagar (ou a outro qq lugar - até rima e é verdade) petiscar umas coisas boas e beber um tintol e conversar e estar bem disposto. / Eu, vou" >> viva, Drª. Júlia! assim é que é falar! Falta convencionar um nº. de telef. para onde as pessoas possam ligar a fazer as marcações; quando tiverem um nº. X de participantes (convém ser pelo menos 2 ou 3 dias antes), podem comunicar-me que eu transmito ao restaurante que decidirem. Como agora acabou o "grupo de discussão" podem mandar a informação para o meu e-mail, que já sabe qual é. Abraço a todos os amigos, até ao dia 6/06, ou até um dia destes.
N.

Júlia Ribeiro disse...

Amigas e Amigos blogueiros, com nome visível e Anónimos:
Como somos todos amigos - eu assim o creio - quero deixar aqui bem claro que não saí do blog. Fui apagada ! (Salvo seja, só tenho 70 e tenho netos pequeninos que gostaria de ver crescer mais uns anitos).

Para contacto para dia 6 :
e-mail---julia.ribeiro@gmail.com
telelé:---- 96 602 7890

Um abração e até dia 6 de Junho
Júlia

Wanda disse...

Olá!
Julia, como assim apagada? Sem ser notificada?Sem mais nem menos?Como?
E tudo que foi escrito merecidamente sobre você? Sobre suas obras?
Para nós acompanhantes e leitores não interessa o que ocorre nos bastidores.Estávamos contentes e fiéis ao blog.
Como é que fica?Ligar o computador todas as manhãs e não ver uma foto nova, um fato novo comentado ,ora por Júlia, ora por Nelson,por outro blogueiro ou algum anônimo?
Isso vai mudar? Vai perder a graça?Não creio no efeito borboleta, mas creio no efeito sucesso!Por que quando se obtém sucesso em algo é tão difícil de administrar depois?
Se o blog tivesse sido um fracasso, todos permaneceriam, querendo fazer dele um sucesso!O ser humano é mesmo previsível nos dias de hoje! Acompanhando a globalização tudo tem que mudar rápido e nem dá tempo de saborearmos um pouco mais do que está bom.
Não sei se existe culpa, desculpa, mea culpa, sei que fica um gostinho de melancolia!
Gosto de TODOS vocês! E fico triste......
Abraços
Wanda

eXTReMe Tracker