torredemoncorvoinblog@gmail.com

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Tomé Rodrigues Sobral (1759-1829)



Completam-se hoje 250 anos do nascimento do ilustre químico Tomé Rodrigues Sobral, nascido em Felgueiras, sendo uma das personalidades moncorvenses com maior projecção científica nacional, a par de Júlio Máximo de Oliveira Pimentel, seu predecessor na Universidade de Coimbra.


"Químico, mais conhecido como o “mestre da pólvora” e também como o “Chaptal português”, natural de Felgueiras, Moncorvo, nasceu a 21 de Dezembro de 1759, filho de João Rodrigues e Isabel Pires. Matriculou-se na Universidade de Coimbra, em Matemática e Filosofia, a 29 de Outubro de 1779. Foi ordenado presbítero na Arquidiocese de Braga em 1782, e concluiu o curso na Faculdade de Matemática e Filosofia em 26 de Junho de 1783. Foi demonstrador de História Natural a partir de Julho de 1986, substituto extraordinário para as cadeiras de Física em Outubro de 1786 e em Julho de 1788, História Natural em Julho de 1787 e Química em Julho de 1789. Sucedeu a Vandelli na direcção do Laboratório Químico em Janeiro de 1791, e foi nomeado Lente de Prima, proprietário da cadeira de Química e Metalurgia , ficando encarregado de elaborar o compêndio da cadeira, previsto nos Estatutos da Reforma da Universidade de Coimbra, de 1772, e que Vandelli nunca tinha elaborado.
Foi sócio da
Academia das Ciências de Lisboa, Cavaleiro professo da Ordem de Cristo e deputado às Cortes Constituintes de 1821. Em 24 de Maio de 1828 foi nomeado vice-reitor da Universidade de Coimbra, não tendo chegado a aceitar o cargo por doença, morrendo um ano depois, em Setembro de 1829. (...)"

Mais informações em:
http://cvc.instituto-camoes.pt/ciencia/p17.html (fonte do texto em aspas e da imagem)
http://www.museudaciencia.pt/index.php?iAction=Coleccoes&iArea=3&iId=50
http://invasoesfrancesas.blogspot.com/2007/02/tom-rodrigues-sobral-1759-1829.html
http://dererummundi.blogspot.com/2008/07/o-batalho-acadmico-de-1808.html

2 comentários:

Anónimo disse...

Que o Sr. Júlio Máximo de Oliveira Pimentel, nascido em berço de gente socialmente importante da villa, se tenha revelado um grande sábio, não admira muito, apesar de provir desta terra à época ainda tão longínqua, quando daqui saíu nos começos do século XIX. Mas que antes dele, ainda no séc. XVIII, um obscuro íncola de uma aldeia serrana, escastoada no meio da serra do Roborêdo, se tenha vindo a notabilizar como um sábio de renome, prof. da Universidade de Coimbra, numa ciência que ainda estava a dar os primeiros passos (a Química, nascida da Alquimia), além de nos encher de orgulho, não deve deixar de constituir um motivo de espanto!!!
Sem querer estabelecer correlações de índole genética, este Padre Tomé a mim não me engana: nascido adonde nasceu (a tchóqueira Felgueiras) e tão guitcho assim, só poderia ser de ascendência judaica! - Para quando uma viela com o nome do Pe. Doutor Tomé Sobral, algures em Felgueiras?
N.

Anónimo disse...

Segundo o nosso mestre Padre Rebelo, fonte fidedigna já desaparecida, Tomé Rodrigues Sobral seria natural das Quintas do Corisco (Felgueiras). Mas tal como qualquer um de nós das Quintas somos todos de Felgueiras. Que honra ter nascido assim Alguém no nosso cantinho! Merecia o nome de uma rua e, sobretudo, que todos o conhecessem...

Gostei muitop de saber novas sobre este conterrâneo. Parabéns pelo "post"!

Isabel

eXTReMe Tracker