torredemoncorvoinblog@gmail.com

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Um hipopótamo à descoberta da Vila

Moncorvo, dizem-me, foi sempre pródigo no chiste e no pícaro. Vamos ao assunto: na primeira quinzena de Junho, um camião do circo que se vinha instalar de armas e bagagens e animais junto às paredes do cemitério da Vila, ter-se-á despistado na estrada, perto do Sabor. E do camião saiu um hipopótamo, de três toneladas, subindo a peso em direcção à Vila, de preferência a banhar-se nas águas do Sabor. Maltratou o tratador e levou um tiro de um GNR. Coisa de pouca monta.
Um noctívago, acabado de regressar a casa, estranhou o ruído, assomou-se à janela e berrou: “ó Maria, ó Maria, anda um elefante na rua”
E a mulher respondeu: “Deita-te mas é que ainda te não passou a bebedeira”.
A história do hipopótamo serviu de gáudio e conversa durante dias às gentes de Moncorvo, imaginando cenários, acrescentando situações à situação.
E o caso é certo que foi notícia de jornais.
Uma correcção final: este hipopótamo, à descoberta de Moncorvo, não passava, afinal, de uma hipopótama com o doce nome de Margarida.

2 comentários:

Júlia Ribeiro disse...

A hipopótama Rita Margarida foi uma estória e tanto !!
Diverti-me a valer.

Júlia

Wanda disse...

Olá!
Já havia lido reportagem sobre o hipopótamo(a), realmente muito curioso um animal á solta tão distante de seu habitat natural.
Ainda bem que não o abateram, pois o animal não tem culpa das barbaridades que os humanos fazem com eles.
Esses animais de circo então, sofrem demais nas mãos dos domadores.
Aqui no Brasil há muitos animais abandonados pelos circos , leões principalmente, muitos com falta dos dentes e muito subnutridos.
São amparados e tratados pela SPA.
É uma pena ver!
Abraços
Wanda

P.S.
Onde posso achar fotos e video sobre o Fesitival de Migas e Peixes do Rio?

São Paulo,22 de junho de 2009

eXTReMe Tracker