torredemoncorvoinblog@gmail.com

quarta-feira, 11 de março de 2009

"Na andadura do tempo", de Vítor da Rocha

Porque nos comentários ao "post" anterior veio a propósito o nome do nosso conterrâneo, o escritor Vítor da Rocha e o seu livro Postigo Cerrado (Círculo de Leitores, 2002), aqui apresentamos o autor (ver nota biográfica na contracapa, em baixo), assim como um excerto do seu primeiro livro Na andadura do tempo (contos), de 1997 (ed. Campo das Letras).
Este último teve já uma reedição em 2007, sendo alvo de uma apresentação, com sessão de autógrafos, em Outubro desse ano, na Biblioteca Municipal de Torre de Moncorvo.

Capa da 2ª. edição, da editora ArtEscrita (2007)

Contra-capa da 2ª. edição (clicar para aumentar - ver currículo)

Como vem a talhe de foice, no seguimento do "post" anterior sobre a escola primária do Peredo, pois aqui fica também este testemunho sobre a vida escolar de outros tempos, noutro lugar, quiçá Carviçais, terra do autor:
"Mais remediada que pobre é a família onde o Eusébio nasceu. Até à idade da escola andou sempre agarrado às saias da mãe, filho único, sem se saber se ruim era a semente de seu pai ou o campo da mãe, sem estrume, de modo que os primeiros contactos com os outros rapazes foram dolorosos. Uns pontapés nas canelas, socos nas costas, foram os primeiros cumprimentos dos mais velhos e ao verem que se encolhia e não devolvia o troco tomaram o gosto ao bombo da festa. Contudo, nas letras revelou-se mais vivo que os outros juntos, e foi a sua salvação, por tal se livrando de mais bordoada, pois que para que ele os deixasse copiar ou lhes fizesse os deveres meteram a mão no bolso e abandonaram o massacre. Mas, fora essa precisão, puseram-no de lado, incapaz de atirar pedras a distância que se preze, de subir a árvore, de acertar com o mijo no formigueiro a um metro de lonjura, de se espolinhar no pó do chão agarrado aos cabelos do inimigo. Humilde, disse o professor Dinis para o pai, no fim da quarta classe, um dos poucos que chegou ao termo da escola, e logo com umas provas dignas de doutor, a maioria desistiu e outros reprovaram, humilde e inteligente, senhor Óscar, o seu filho tem uma rica cabecinha, é pena se não seguir adiante. Mais adiante para onde, senhor professor?, não tenho posses para pô-lo a estudar, mesmo para deixá-lo andar até à quarta já foi o arco da velha, com precisão do rapaz nas leiras, que é o único braço com que eu e a mulher podemos contar, e o trabalho de menino é pouco mas quem o rejeita é louco. Cofiou a barba o professor Dinis, barba bem aparada, barba de senhor de letras e saber, pintalgada de branco de longe em longe, pois é, senhor Óscar, tem razão, mas olhe que é uma pena, tem ali um filho que podia ser doutor, ou talvez um padre. // Doutor ou padre, senhor professor?, com respeito do senhor, não me faça rir, que até me dá vontade de chorar, ora vejam lá, nascido no meio de porcos e dos machos, rumelento e ranhoso, sem direito para lhe comprar uns sapatos, e o senhor professor vem-me com essa de pô-lo a estudar pra doutor ou padre. Não alcanço tão alto, senhor professor, saber ler já é mais do que o que eu tive, e agora daqui para a frente é aprender a vida, os trabucos que ela nos dá, e ser um homem honrado, que não é pouco nos tempos que correm".
- O que terá acontecido ao Eusébio? será que continuou a sina milenar da sua gente, na gleba transmontana, ou terá seguido outros voos? > para o saber, terá de ler o primeiro conto de Na andadura do Tempo, intitulado: "O anjo e a puta".
- Para aquisição, pode contactar a Biblioteca Municipal de Torre de Moncorvo, ou fazer o pedido "on line" através do seguinte endereço: http://www.wook.pt/Authors/detail/id/37127
Boas leituras!!
Nota: logo que possível, será "postado" também aqui algo sobre o "Postigo Cerrado".

4 comentários:

Júlia Ribeiro disse...

Wanda:
Faça a lista dos livros que quer, que eu mando-lhos . (Os que não estiverem esgotados).
Pelas amostras aqui lidas, os livros do Vítor da Rocha e os do Sá Gué são de leitura obrigatória.

Um abraço,
Júlia

Wanda disse...

Olá!
Júlia,agradeço seu carinho e sua generosidade.
Já havia enviado o pedido de quatro livros a meus primos em Almada e Pombal.Combinamos que o primeiro que vier irá trazê-los.
Pena que os parentes de Moncorvo não possam vir tão já, senão pediria a eles que trouxessem.
Não descarto a possibilidade de te pedir ajuda se por ventura algum livro não for encontrado.
Vou demorar um tempo para ler esses livros que encomendei, depois vou querer mais.
Aliás , ainda tenho alguns na fila, pois tudo o que acho interessante vou comprando...gostaria que o dia tivesse 48 horas para ter mais tempo.(riso)
Beijos
Wanda
São Paulo, 13 de março de 2009

António Sá Gué disse...

Para a "Wanda",
Caso não encontre, contacte-me através do "e-mail": antoniosague@gmail.com
Obrigado!

Anónimo disse...

No seguimento do oferecimento, quer da Drª Júlia, quer do António Sá Gué, também me ofereço para lhe arranjar alguns dos livros que mencionar na sua lista. Dos que estão esgotados há muito (tipo os do Campos Monteiro), cujas editoras ou já desapareceram ou não estão interessadas em reeditar obras que acham que não têm interesse comercial, há sempre a hipótese de recurso a fotocópia...
abraço,
n.

eXTReMe Tracker